Modos Gregos - ementa.

Pré-Requisito: Conhecer algumas digitações da escala maior, pentatônicas, vocabulário de acordes, e muita vontade de improvisar, criar solos,etc.
Compor com consciência e almejar um estudo aprofundado de improvisação.

Modos Gregos - “Desvendando os seus Mistérios” (prof. Fred Rios)

"Os Modos Gregos abrem de forma surpreendente os nossos horizontes musicais. Captar a essência de cada modo em um único momento se torna muito dificil, pois quando falamos de modalismo existem muitos aspectos pertinentes e complexos tais como: harmonia modal x tonal, improvisação, digitações, fraseado, notas características, rearmonização, timbres, voicings, estilos, ritmos, culturas, etc. Na verdade o estudo da música modal se dá em várias etapas e sempre aprenderemos um jeito diferente de se compreender os modos e fazer música." (Fred Rios)

Ementa do Curso:

Revisão de Intervalos Simples e Compostos - Esse é um assunto essencial para o aprendizado e compreenção de vários fundamentos musicais, dentre eles: Harmonia e Improvisação.

Origem dos Modos - Os gregos usavam as letras do alfabeto para representar notas musicais. Agrupavam essas notas em tetracordes (sucessão de quatro sons). Combinando esses tetracordes de várias maneiras, os gregos criaram grupos de notas chamados modos. Os modos foram os predecessores das escalas diatônicas maiores e menores.

Nomenclatura e Formação das Escalas Modais - Cada modo possui uma nomenclatura especifica e através do escala maior estudaremos a construção dos intervalos para cada modo através do conceito de Escalas Relativas e Escalas Homônimas. (D Maior = F# frigio, F Maior = Bb lidio,etc).

Digitação - Através dos 5 desenhos da escala maior aprenderemos a tocar nos 7 modos, pois na verdade o que muda é o repouso da tônica modal e o contexto melódico e harmônico.

Notas Características dos Modos - Todo modo possui uma ou mais diferenças em relação a outros modos, e através do estudo dos modos homônimos é que entenderemos as notas caracteristicas de cada modo. (dórico 6, frigio b2, lidio #4, etc)

Notas de Repouso & Tensão - Através de uma análise melódica o professor mostrará passo a passo a sonoridade de cada modo tocando a escala dentro de bases modais onde o aluno perceberá as consonâncias e dissonâncias de cada modo.

Notas Atrativas dos Modos
– São notas que caminham para as notas de repouso e podem ser notas de tensão ou passagem (iônico 4, frigio b2 b6, aeolio b6, etc).

Harmonia Modal:

“Essa é uma das grandes dificuldades dos músicos em geral, pois não basta conhecer as escalas. A melodia seja ela uma canção ou improviso está sempre atrelado a um contexto harmônico. Para o aluno é vital o conhecimento das progressões e cadências de cada modo”.

Campo Harmônico dos Modos – Agora que já conhecemos as escalas, podemos construir o campo harmônico de cado modo com suas respectivas análises harmônicas. Ex:

Dórico : Im7 IIm7 bIII7M IV7 Vm7 VIm7(b5) bVII7M
Frigio : Im7 bII7M bIII7 IVm7 Vm7(b5) bVI7M bVIIm7

 

 

– Através do conhecimento das notas caracteristicas de cada modo entenderemos como montar progressões modais. Ex:

Aeólio: b6

 Im
bVI
IVm
  Am
F
Dm

Mixolidio: b7

I
bVII
IV
A
G
D

 

Harmonia Modal com Notas de Tensão - Um dos recursos para se criar uma harmonia mais sofisticada e interessante é o de colocar tensões nas progressões modais. Através de uma tabela simples e arquivos do guitar pro, tocaremos várias bases modais com tensões. Ex:

Frigio:  
Im7
bII7M
Cm7(11)
Db7M(#11)

 

Lidio:  
I
II
D(#11)
E add9

 

Acordes Modais - São estruturas especiais usados somente em contextos modais. Temos uma tabela com vários acordes escritos em arquivo guitar pro. Ex:

Frigio - E7sus4(b9)

Dórico – Am7 (9,13)

Baixo Pedal e Inversões - Esse são outros recursos que tornam a harmonia modal mais interessante. Montamos várias bases modais em mp3 para o aluno improvisar e compor. Ex:

Aeólio - Am F/A G/A Am

Frígio - Am Bb/A etc...

Voicings - São técnicas de harmonização super avançadas muito usada por músicos de jazz e arranjadores. Podemos tocar os acordes com várias combinações:

Drop2 - acordes onde a segunda voz mais aguda, cai uma oitava abaixo.
Quartais - acordes em intervalos de quartas consecutivas.
Cluster - acordes em intervalos de segundas maiores e menores.
Open strings - acordes “violonisticos” onde há sempre notas de corda solta.
Pan Chords - acordes que pulam uma corda : 6 4 2 ou 5 3 1(cordas)


Improvisação Modal:

“Agora que já temos conhecimento teórico e prático suficiente sobre “modalismo” em contexto melódico e harmônico, podemos então utilizar estratégias mais interessantes como a aplicação de arpejos, escalas pentatônicas. Ex:

C7M- arpegio D (lidio)

Dm7 - arpegio Em7 (dórico)

Em7- arpegio F7M (frigio) ..etc


Composição Modal - Através de exemplos práticos em sala de aula iremos rearmonizar musicas conhecidas combinando harmonia tonal e modal, criando nova “roupagem harmônica”.

Através de uma abordagem especifica para publicidade, cinema, tv, teatro e rádio, professor e alunos irão compor juntos trilhas instrumentais em vários estilos, utilizando os recursos do nosso estudio de gravação.

 


Cadências Modais

Acompanhe a Escola Guitar Club nas redes sociais !